Tratamento

Esta é uma pergunta que os familiares levam pra casa depois do diagnóstico. Mais saiba que existem várias alternativas para sua dieta

Esta é uma pergunta que os familiares levam pra casa depois do diagnóstico. Mais saiba que existem várias alternativas para sua dieta

“Afinal, o que posso comer?” É essa a pergunta que os familiares levam pra casa depois do diagnóstico.

Entendido o que deve ser evitado e o quão atenta deve ser a leitura dos rótulos é no dia a dia que se percebe quais alimentos devem incorporar a nova rotina, quais preparações substituirão as receitas habituais, como será a nova lista de compras e qual será o itinerário de compras - porque dificilmente tudo será achado no mesmo lugar.

Privilegiar alimentos in natura, planejar o uso do tempo para dar espaço ao preparo das refeições, cozinhar, partilhar receitas, valorizar as refeições e comer em companhia são alguns dos hábitos das famílias que convivem bem com a APLV. E todos esses hábitos foram pauta no novo guia de alimentação da população brasileira publicado pelo ministério da saúde no final de 2014.

O guia alimentar é um direcionamento para melhorar a saúde da população em geral. Contemplando também aspectos culturais e sociais, o guia propõe mudanças de atitudes alimentares que vão de encontro com a realidade que o manejo da APLV impõe.

O diagnóstico da APLV, entretanto, implica em restrições alimentares e essa experiência pode ser sentida e vivenciada de diferentes formas. O começo pode ser difícil, mas a adaptação chega. Cada família irá descobrir como será sua nova realidade. Há quem deva restringir um ou dois alimentos. Há quem deva restringir um pouco mais. Há quem possa tolerar traços, há quem precise controla-los. Há quem prefira manter a mesma alimentação para todos em casa, há quem vá fazer pratos diferentes. Há quem prefira evitar reuniões sociais, mas é sempre bom lembrar que uma marmita recheada de coisas gostosas é um excelente aliado para não perder nenhum evento!

A partir do momento que cria-se uma nova rotina e que os novos alimentos começam a fazer parte do repertório da família, tem-se um novo arranjo. Com tudo mais organizado, já se sabe como abastecer a dispensa e a geladeira, o que comer no café da manhã, o que pode ser preparado para almoço e jantar, o que deve ser congelado para facilitar o dia a dia, quais lanches deve-se ter na bolsa, quais os corredores do supermercado devem ser frequentados, quais sites tem boas receitas e por aí vai.

Dessas novidades, muitas vão permanecer na vida dessas famílias, mesmo que a cura não demore a chegar!

Fonte: Põe no rótulo, traduzido de allergyfun

ASSUNTOS RELACIONADOS:

Tratamento gratuito a bebês com alergia ao leite de vaca

Tratamento gratuito a bebês com alergia ao leite de vaca

Alergia ao leite de vaca e alergia à lactose são diferentes?

Alergia ao leite de vaca e alergia à lactose são diferentes?

RECEITA EM DESTAQUE:

Coxinha de frango

Coxinha de frango